05/06/2013 08h56

Produtores reclamam da demora na fila para comunicação da vacina contra aftosa em Vila Rica

As reclamações dos produtores tem sido constantes da demora no atendimento e das longas filas.
Eldorado.fm
A Reportagem da Rádio Comunitária flagrou nesta semana filas que passam de 100 pessoas na espera de atendimento. (Foto: Danilo Trindade)

Desde que o INDEA/MT implantou o novo ‘sistema online’ no início de dezembro de 2012, as reclamações dos produtores tem sido constantes da demora no atendimento e das longas filas que tem que enfrentar para receber atendimento no escritório da Unidade de Vila Rica.

A situação piorou a partir da segunda quinzena de maio quando a maioria dos pecuaristas estão procurando o INDEA para comunicar a vacina contra aftosa na etapa de maio 2013.

A Produtora Maria Irene disse que o numero de pecuarista aumentou muito nos últimos anos assim como cresceu bastante o rebanho bovino do município, e o INDEA não acompanhou essa ascensão principalmente na sua estrutura física e de logística.

O produtor Silas Luiz disse que a classe produtora paga seus impostos, mas o retorno dos impostos é quase nulo. E estão abandonados pelos políticos que não fazem sua parte, tanto em nível de município quanto na esfera estadual e federal.

A Reportagem da Rádio Comunitária flagrou nesta semana filas que passam de 100 pessoas na espera de atendimento, e o pior, pessoas que pegam senhas num dia pra serem atendidas um a dois dias depois.

Os servidores do INDEA ficam reféns do ‘sistema’ e das máquinas que são poucas e antigas, e para complicar a internet que é disponibilizada pela operadora Oi em toda a região Araguaia é lenta e deficiente.

A Presidente do Órgão Maria Auxiliadora Diniz disse em entrevista exclusiva à Rádio Eldorado FM que os problemas são pontuais, e que será feito um remanejamento de equipamentos para minimizar os problemas de Vila Rica.

Outra medida tomada pela diretoria foi a prorrogação do prazo para os pecuaristas comunicarem a vacinação contra febre aftosa referente a etapa de maio. O prazo inicial que se encerrava dia 10 de junho foi prorrogado para o dia 14 de junho.

Segundo Auxiliadora o motivo da prorrogação foi o baixo índice de comunicação da vacina que até o momento não atingiu 50% em todo o Estado, bem como a lentidão na comunicação individual.

A prorrogação da comunicação foi determinada a todo o Estado de Mato Grosso. O Produtor que deixar para comunicar a vacinação fora do prazo, ou seja, após dia 14 de junho, terá sua ficha sanitária bloqueada para emissão de documentos sanitários.

E o produtor que não realizou a vacinação dentro da etapa, entre os dias 01 ao dia 31 de maio, terá que realizar a vacinação com o acompanhamento de um técnico do órgão além de ser autuado no valor aproximadamente de R$ 170,00 reais por cabeça não imunizada. 

espalhe!

Veja também

© Copyright 2000-2013 - Rádio Comunitária Eldorado FM 87,9