29/03/2013 13h15

MT é o estado com maior número de pessoas se tratando da hanseníase

O dado faz referência ao coeficiente de prevalência da doença e, segundo o Ministério da Saúde, o estado possui 7 vezes mais registros da patologia do que a média nacional.

A Gazeta
Mato Grosso é o estado que concentra o maior número de pacientes em tratamento contra a hanseníase no país. (Foto Reprodução)

Mato Grosso é o estado que concentra o maior número de pacientes em tratamento contra a hanseníase no país. O dado faz referência ao coeficiente de prevalência da doença e, segundo o Ministério da Saúde, o estado possui 7 vezes mais registros da patologia do que a média nacional. Conforme a estatística, enquanto o país apresenta 1,5 casos para cada grupo de 10 mil habitantes, o Estado alcança média de 7,7 pessoas doentes para cada 10 mil pessoas. No ranking ainda estão Tocantins (5,4), Maranhão (5,3), Pará (4,3), Rondônia (4,0), Goiás (3,3) e Mato Grosso do Sul (3,2). Os números são referentes aos dados de 2011, último balanço nacional atualizado da doença.

Conforme a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o coeficiente de prevalência mede a predominância de uma doença em uma população, durante um determinado período, levando em consideração os casos novos e antigos da patologia, ou seja, considera apenas os pacientes em tratamento. O cálculo é comum ser utilizado para doenças crônicas, como a hanseníase, tuberculose, Aids, tracoma e diabetes, por exemplo.

Ainda em relação aos dados de Mato Grosso, o Ministério da Saúde detalha que somente no ano de 2011, o Estado foi a 5a unidade da federação que mais registrou pessoas doentes, totalizando 2,6 mil pacientes. Se o número for comparado aos valores referentes aos estados que compõem a região Centro Oeste, Mato Grosso figura com a maior quantidade de doentes. Nacionalmente, são 33,9 mil pessoas que apresentam a patologia.

Médico do programa Saúde da Família, do Ministério da Saúde, José Cabral Lopes explica que o alto índice de hanseníase no Estado é reflexo das características da própria doença. Segundo ele, a hanseníase é uma patologia que não apresenta sintomas de fácil percepção, como dores e mal estar, por exemplo. "Além destas circunstâncias, a doença está ligada à imunidade do paciente. Se este não tem uma boa alimentação, não reside em local com higiene adequada, não possui saúde de qualidade, está totalmente suscetível a contrair hanseníase", informa o médico.

Doença infecciosa e causada pelo bacilo Mycobacterium leprae, a hanseníase é transmitida pelas vias respiratórias, porém o médico garante que é necessário uma convivência intensa com a pessoa doente para ser infectado. Entre os principais sintomas, detalha o médico, está a presença de manchas dormentes, porém ele ressalta que também existem casos em que o paciente é acometido pela patologia e não apresenta qualquer sintoma. Outro fator apresentado pelo profissional é em relação ao tempo de incubação do bacilo, que pode durar de 2 a 10 anos. No que se diz respeito ao tratamento, atualmente o Sistema Único de Saúde disponibiliza os medicamentos. "A pessoa que tem hanseníase tem 100% de chances de ser curada".

O médico detalha ainda que para que os casos apresentem queda no Estado é necessário que o acompanhamento médico seja regular. Para ele, enquanto não existir um trabalho de vigilância contínuo, a tendência é que Mato Grosso continue registrando pacientes com hanseníase. "Mato Grosso é um estado de grande extensão e isso dificulta que os serviços e tratamentos cheguem até os pacientes", explica.

espalhe!

Veja também

© Copyright 2000-2013 - Rádio Comunitária Eldorado FM 87,9